Os novos Macabeus

Protetores da Terra Santa, os soldados de Israel são exemplos de motivação, perseverança e moralidade

 

Mauricio-Gluksmann41-640x426

Mauricio Gluksmann: da Venezuela para as Forças de Defesa de Israel

 

Assim como todo soldado de Israel deve desempenhar um papel ativo na defesa do país e de seus cidadãos, eles também são responsáveis pela criação de um brilhante exemplo de motivação, perseverança e moralidade.

Quando o Estado de Israel foi fundado, em 1948, os países vizinhos o invadiram, na tentativa de destruir o novo estado. Essa foi a principal razão para a fundação das Forças de Defesa de Israel. Infelizmente, a história não é muito diferente hoje em dia. As FDI ainda têm a tarefa de preservar a existência de Israel, constituindo também um modelo para os civis – um símbolo de proteção e segurança. Esta é uma idéia profundamente enraizada na juventude israelense, para aqueles que cresceram em Israel e para os que optam por morar aqui, vindo do exterior.

Este é o caso do Cabo Mauricio Glucksmann, um imigrante originário de Caracas, Venezuela. Em seu país de nascimento, ele testemunhou muita violência e tragédia. Quando veio para Israel, porém, finalmente se sentiu seguro. “Não importa onde eu estivesse, eu me sentia seguro quando eu via um soldado das FDI”, lembra. “Foi por isso que decidi me tornar um daqueles soldados que poderiam fornecer esse tipo de conforto.”

Para alguns, assumir a responsabilidade de ser um soldado pode significar um golpe em casa. Muitos israelenses conhecem alguém que foi morto ou ferido em guerras ou atentados terroristas. Assim é o caso do Cabo Rotem Saidon. Quando os terroristas do Líbano invadiram a cidade israelense de Nahariya, parentes do Cabo Saidon estavam entre as vítimas. Sua história familiar afeta pessoalmente seu papel como um operador do Centro de Comando e Controle da marinha de Israel.

 

OMR_2713-copy-640x425

Rotem Saidon: protegendo a costa de Israel contra invasões

 

“Nós patrulhamos a fronteira marítima de todas as formas possíveis, usando radares e câmeras”, explica.“Monitoramos tudo que tente entrar em território israelense. Protegemos toda a região costeira, para que não haja qualquer infiltração hostil por mar.” Rotem sabe a importância de estabelecer um exemplo pessoal de alerta e vigilância, mesmo quando seu trabalho fica extremamente difícil. “Isso me faz entender que, se nós não estivermos aqui para vigiar, famílias inteiras podem ser destruídas”, diz. “Somos os únicos que protegem os moradores de Nahariya.”

Esta ética de responsabilidade para com os outros acompanha os soldados no campo de batalha onde, por vezes, os soldados sacrifícam suas próprias vidas. Um dos exemplos mais marcantes é o do Major Roi Klein. Ele era um comandante da Brigada Golani durante a Segunda Guerra do Líbano. Em meio a uma feroz batalha, enquanto o major Klein estava tratando um soldado ferido, os terroristas do Hezbolá lançaram uma granada em sua direção. Sabia que havia apenas duas opções: salvar-se ou salvar a vida de seus companheiros. Ele saltou sobre a granada gritando o Shema Israel, a declaração judaica da unicidade de Deus. Ao fazer isso, ele absorveu a explosão da granada e foi morto no local, mas ao fazê-lo, salvou as vidas de um grupo inteiro de soldados.

Cada um dos combatentes mencionados aqui se esforçou para ser um exemplo pessoal. Suas histórias demonstram os valores do que significa ser um soldado de Israel. Eles assumiram suas tarefas e aceitaram suas difíceis responsabilidades, mesmo que isso significasse se mudar para outro lugar do mundo ou abdicar de suas vidas. Sua profunda compreensão dos valores da responsabilidade e de ser um exemplo pessoal é o que permite a todos os habitantes de Israel viver uma vida normal, mesmo enfrentando inimigos implacáveis.

Traduzido com permissão das Forças de Defesa de Israel

VÍDEO:
Forças de Defesa de Israel – Protegendo a Terra Santa >>