Defensores do Templo

Em Hanuká, os judeus relembram uma história de heróis, milagres e fidelidade ao Deus de Israel

 

Judah_Maccabee

 

Entre os dias 27 de novembro e 5 de dezembro de 2013, os judeus em Israel e no resto do mundo celebrarão a milenar festa de Hanuká. Durante estes dias, é relembrada uma das passagens mais notáveis de toda a história judaica.

Hanuká conta como o povo judeu libertou-se de um governante tirânico, que negava-lhes seu direito de seguir suas próprias tradições religiosas. Neste sentido, Hanuká é uma história de redenção nacional, que demonstra como o povo judeu pode perseverar contra enormes adversidades para manter-se fiel ao seu Deus único e à sua Torá. É também a história do estabelecimento da dinastia dos Hasmoneus, que marcou a primeira em que os Levitas tornaram-se líderes políticos.

 

OPRESSÃO

No ano de 170 a.C., durante o período do Segundo Templo, os gregos sírios haviam tomado o poder em Israel. Eles tentaram impor sua cultura helenística sobre o povo judeu, contaminando tudo o que era mais sagrado e proibindo o estudo da Torá. Seu objetivo era eliminar a ligação dos judeus com Deus e doutriná-los com seus próprios valores, em uma tentativa inútil de negar a existência do Criador.

Primeiro, proibiram rituais sagrados ao judaísmo, como a circuncisão. Depois, ergueram estátuas de seus deuses e profanaram o Templo Sagrado. Apesar da superioridade militar grega, um pequeno grupo de guerreiros judeus, conhecidos como Macabeus, surgiu para lutar pela sobrevivência do povo judeu e de sua amada Torá.

 

MILAGRES

Vários milagres ocorreram durante esta luta contra a opressão grega. O primeiro foi a vitória militar dos poucos Macabeus contra o poderoso exército grego. Aqui, Deus fez com que os mais fracos derrotassem os mais fortes e os justos derrotassem os idólatras.

Logo após esta incrível vitória militar, os judeus voltaram para o Templo Sagrado apenas para descobrir que ele havia sido contaminado e completamente profanado. Para que o Templo fosse novamente purificado, era necessário para acender o grande candelabro com com azeite certificado como puro pelo Sumo Sacerdote.

Dentro do Templo profanado foi encontrado apenas um vaso de azeite puro, que continha o suficiente para acender o candelabro por apenas um dia. então, um novo milagre ocorreu: a chama permaneceu acesa não por apenas um dia, mas por oito dias, o suficiente para que os sacerdotes judeus tivessem tempo para produzir mais azeite purificado.

 

TRADIÇÃO

hanukkah-candles-safety-electric-menorah_60279b8292f73981962e7408dd434179_3x2_jpg_600x400_q85

Para comemorar a bravura do Macabeus e os milagres de Hanuká, até hoje os judeus acendem pequenos candelabros de oito velas, uma vela a cada dia. Manda a tradição que estes candelabros devem ser postos junto às janelas, para que sua luz ilumine todo o mundo exterior.

 

Video: Aprenda a fazer um delicioso doce típico de Hanuká >>

Vídeo: Em um moderno centro de tecnologia israelense, estudantes entoam antiga canção de Hanuká >>